Campinas   (19) 3029-9657 Whatsapp São Paulo   (11) 5575-2192 Whatsapp

Receba Informações sobre a Halitose
e os Caminhos para Solucioná-la

OK
 

Mau Hálito (Setembro de 2000)

Mau Hálito (Setembro de 2000)

Halitose, ou mau hálito, pode influenciar a vida pessoal e profissional das pessoas.

Tanto para homens como para mulheres, ter bom hálito é essencial. Quatro em cada dez brasileiros sofrem de halitose, podendo influenciar na vida pessoal e profissional da pessoa. Se considerasse-mos o hálito desagradável ao acordar, praticamente 100% da população seria portadora desse sinto-ma. Por isso, o hálito da manhã é considerado fisiológico.

Ele acontece devido a leve hipoglicemia; redução do fluxo salivar durante o sono e o aumento da flora bacteriana. Após a higiene dos dentes e após a primeira refeição, o mau cheiro matinal deve desaparecer. Caso isso não aconteça, pode-se considerar que essa pessoa tem mau hálito e que precisa ser investigado e tratado.

No Brasil, 46% da população é portadora de halitose crônica (que não pas
sa com medida comum de higiene e alimentação). Halitose é o termo científico para o mau hálito e é uma palavra originária do latim halitu (ar expirado) e osis (alteração).

O mau hálito é um sintoma e não doença.
Existem mais de 50 causas. Uma das mais comum é a diminuição da saliva, ocasionada por inumeros fatores (remédios que a pessoa possa estar tomando que diminuam a salivação, stress, certas doenças, etc.). Essa diminuição da quantidade de saliva favorece a formação de uma placa bacteriana (camada esbranquiçada) do meio para o final da língua, chamada saburra lingual.

Ela é forma-da por restos de alimentos, células que se descamam da mucosa bucal e bactérias, e alimentam-se das proteínas presentes nessas células. Nesse processo ocorre a liberação do enxofre, que causam um hálito muito forte.Segundo o Cirurgião Dentista, Eduardo Pedrazza Dutra , existe hoje um aparelho de alta tecnologia chamado halímetro, "Com esse aparelho podemos avaliar a gravidade do problema, acompanhar a evolução do tratamento e também diagnosticar pacientes com halitose psicogênica, ou seja, pacien-tes que asseguram ter mau hálito mas não têm", comenta.Outra causa comum são os longos intervalos em jejum que provocam hipoglicemia.

Bebidas alcoólicas e diversos alimentos (principalmente os com excesso de gordura animal e proteína, além do alho, cebola, fritura, alimentos que contenha enxofre, etc.) podem causar uma alteração no aroma bucal, principalmente em pessoas que já tiveram ou têm problema no fígado.

"É importante dizer que o estômago raramente provoca o mau hálito; por exemplo em casos de pessoas portadoras de refluxo gastro esofágico , mas isto são casos incomuns", comenta a Cirurgiã Dentista, Marignês Theotonio dos Santos Dutra . O intestino preso, às vezes, pode causar o mau hálito. Diabetes, disfunção renal grave, entre outras.Para tratar a halitose é preciso olhar o paciente como um todo, pois é comum existirem causas asso-ciadas.

O aspecto emocional tem muita influência, pois causa muitas vezes uma diminuição da quantidade de saliva ou hipoglicemia. Em termos de resultados, logo no retorno da consulta, mais de 90% dos pacientes não têm mais o problema e os 10% restantes precisam um segundo ou terceiro retorno ao dentista, pois são casos mais graves.

Depoimentos
O publicitário, V.O.A, 32, casado, descobriu que sofre de halitose há apenas alguns meses, "Tenho uma profissão que exige contato constante com o público e, por isso, ao tomar conhecimento que existia tratamento para o mau hálito, procurei tentar sanar esse problema", comenta. Embora sentisse sempre uma sensação de boca seca, V.O.A não fazia idéia que a salivação estivesse deficiente.

"Depois de muita investigação descobri que o mau hálito vinha do stress. O tratamento durou cerca de 4 meses”, diz o publicitário. A dentista R.M.N, 29, sofria de halitose há dez anos e, apesar de trabalhar na área odontotológica, não tinha conhecimento de um especialista nessa área.

"Já havia procurado ajuda com outros espe-cialistas tais como um otorrinolaringologista e sempre mantive uma boa higiene bucal", fala. "Obtive um grande sucesso no tratamento e por isso hoje •Recomendo-o para as pessoas que ainda sofrem desse mal", comenta a dentista.

Para saber mais visite www.halitus.com.br.


Voltar

Conheça nossos clientes e saiba o que eles pensam sobre a Clínica Halitus

Veja todos os depoimentos

Nossos endereços

São Paulo

São Paulo

Endereço

Rua Apeninos, 930 - Conjunto 42 - Metrô Paraíso


Como chegar

Desça na estação Paraíso do Metrô, pegue a saída da Rua Dr. Eduardo Amaro, vire a direita. Na próxima esquina vire à direita de novo; o prédio da Clínica fica no meio da quadra.

Resp. Téc.: Luciana Sassa Marocchio
CRO SP: 79.084

Veja o mapa

Campinas

Campinas

Endereço

Rua Avelino Silveira Franco, 149 - Bloco 2 - Sala 366 - Condomínio de Escritórios L'Oficce - Ville Sainte Helene


Como chegar

Estrada Campinas - Sousas; Av. Dr. Antônio Carlos Couto de Barros/Rodovia José Bonifácio Coutinho Nogueira, em frente ao Clube Cultura e à SANASA.

Resp. Téc.: Maurício Duarte da Conceição
CRO SP: 34.205

Veja o mapa

Whatsapp
Fale com a Clínica Halitus


São Paulo
+55 11 94764-2935

Campinas
+55 19 97404-1126