O dia 22 de Setembro, início da Primavera – considerada a mais bela estação do ano, foi a data recentemente instituída pela ABPO – Associação Brasileira de Estudos e Pesquisas dos Odores da Boca, como o Dia Nacional de Combate à Halitose.
Esse é o momento ideal para o lançamento de uma campanha permanente de prevenção e combate à Halitose (o popular mau hálito), problema que tem constrangido, desagregado, e em muitos casos, até isolado socialmente grandes contigentes de pessoas em todo o país.

O objetivo principal da entidade com a instituição de uma data-símbolo para se lembrar particularmente do problema e lançar a campanha, é o de esclarecer a população brasileira sobre como identificar a halitose, suas causas ou fatores desencadeantes e os meios existentes para combatê-la. Segundo os pesquisadores, são portadores de halitose as pessoas que, submetidas a exame em aparelhos do tipo gás cromatógrafos, dão resultados positivos.

Entre as ações que compõem a campanha estão o debate com a sociedade sobre a questão, distribuição para imprensa de artigos assinados por pesquisadores de todo o Brasil, e a divulgação do site clique mau hálito (www.abpo.com.br), que usando como chamada a frase ” Você não precisa ficar constrangido para informar ao seu amigo que ele tem mau hálito, a ABPO faz isso por você “, disponibiliza informações sobre como tratar da halitose além de apresentar um formulário através do qual o internauta pode indicar nomes de portadores de halitose, para que a entidade entre em contato informando-lhes a respeito de como tratá-la.

Pesquisas realizadas sobre a incidência da halitose pela Dra. Ana Christina Kolbe, Presidente da ABPO, mostram que 40% da população brasileira é portadora de halitose. Para Ana Christina , Presidente da entidade, a explicação mais comum para o mau hálito é simples: sem higienização correta, a língua, acumula restos de alimentos, células descamadas da mucosa e bactérias, que formam a chamada saburra lingual que entra em estado de decomposição eliminando o enxofre. Se limpar habitualmente, a língua não acumulará resíduos para serem decompostos, e quando a boca for aberta não haverão gases para escapar. Segundo o Dr. Eduardo Pedrazza Dutra, dentista de São José dos Campos, especializado no tratamento do mau hálito e membro da ABPO, é importantíssimo o conceito de que o mau hálito é um sintoma e não uma doença. “Ele revela que algo no organismo está em desequilíbrio, que tem de ser identificado e tratado”, ressalta o especialista.

Para saber mais a respeito de halitose visite o site : www.abpo.com.br. Envie sua mensagem para o email: [email protected] ou ligue para :(Oxx71)245-3236 e (Oxx71) 336-1004

VOLTAR