Campinas   (19) 3029-9657 Whatsapp São Paulo   (11) 5575-2192 Whatsapp

Receba Informações sobre a Halitose
e os Caminhos para Solucioná-la

OK
 

Jornais

  • Alerta contra o bafo

    Jornal Folha Universal - 30/10/2011 Edição 1.034
    Avisar que alguém tem mau hálito é tarefa das mais constrangedoras. Para tentar ajudar, algumas entidades já oferecem serviços que alertam, por e-mail ou carta, quem tem o problema. Tudo de forma educada e, é claro, sem revelar o remetente.

    Leia mais

  • Congresso de Halitose - Alemanha 2009

    Jornal Correio popular - abril de 2009

    Leia mais

  • É possível prevenir a halitose

    Jornal Agora São Paulo - abril de 2008
    Existem mais de 50 possíveis causas para a halitose, mas 90% dos casos ocorrem por desordens bucais tais como a má higiene bucal, doenças da gengiva, saburra lingual (formação de placa bacteriana na língua), alterações na saliva ou problemas nas vias aéreas superiores, principalmente os cáseos amigdalianos (placa bacteriana nas amígdalas).

    Leia mais

  • Por dentro do mau hálito

    Jornal da Uniban - Outubro de 2007
    A saburra lingual é uma das principais causas da halitose “Os primeiros sintomas podem ser a sensação de boca seca, alteração de paladar, sangramento gengival e o surgimento de placa bacteriana na língua. Quando aparecerem os sintomas, a sugestão é procurar um profissional capacitado a tratar o problema, pois existem diversos tipos de halitose”, comentou o especialista Maurício Duarte.

    Leia mais

  • Mitos

    Jornal Folha Equilíbrio - Junho de 2006
    Algumas orientações básicas para evitar o incômodo são evitar jejum acima de quatro horas, beber muito líquido, escovar bem os dentes e a língua e usar fio-dental.

    Leia mais

  • Halitose ainda é cercada de mitos

    Jornal Canal Arcóxia - Junho de 2006
    O estresse é um dos fatores da halitose. Ele provoca no organismo inúmeras reações químicas importantes. Uma delas é a liberação dos hormônios adrenalina e cortisol, que causam algumas reações significantes como o aumento dos batimentos cardíacos e da freqüência respiratória, e a diminuição do fluxo salivar (hipo-salivaçâo). Esta, por sua vez, leva a um aumento da concentração de mucina, proteína presente na saliva, responsável pela sua viscosidade, proporcionando uma saliva mais espessa e pegajosa.

    Leia mais

  • Clínica seleciona voluntários para pesquisa...

    Jornal Correio Popular - Janeiro de 2006
    Segundo o dentista, mais de 90% dos casos de mau hálito ocorrem por problemas bucais e os cáseos amigdalianos são a terceira causa mais freqüente.

    Leia mais

  • Clínica seleciona voluntários para pesquisa (Setembro de 2005)

    Jornal Correio Popular - Setembro de 2005
    O objetivo da pesquisa do dentista Maurício Duarte da Conceição, é comprovar a eficiência do enxaguatório para diminuir ou interromper a formação dos cáseos.

    Leia mais

  • Voluntários 2

    Jornal Folha Equilíbrio - Setembro de 2005
    A Clínica Halitus está selecionando voluntários portadores de amidalite caseosa (que tem formação de placas bacterianas).

    Leia mais

  • A psicologia no combate ao mau hálito

    Jornal Folha da Região - Julho de 2005
    Desde que o mundo é mundo, as pessoas se lamentam do mau hálito, ou halitose. Há mais de 3 mil anos, o médico grego Hipócrates já prescrevia um bochecho de vinho com ervas aromáticas para melhorá-lo. E um jovem fabricante de cosméticos, na velha Roma, ficou rico quando inventou e começou a produzir essência de hortelã para tratar o problema.

    Leia mais

  • Mau hálito atinge 30% dos brasileiros, mas ainda é tabu

    Jornal Folha de São Paulo - Junho de 2005
    “Os jovens, em especial, deixam de sair de casa, deixam de beijar e até de namorar, porque têm vergonha. Deixam de interagir com as pessoas sendo, que o problema é facilmente corrigido." Ao menos 60 fatores podem ser responsáveis pelo mau hálito mas os principais —cerca de 90%— se manifestam na boca. Em um dos casos, o odor ruim acontece depois que bactérias presentes na boca decompõem algumas proteínas.

    Leia mais

  • Dieta e Higiene, armas contra mau hálito

    Jornal SP Agora - Setembro de 2004
    Além de provocar outros problemas, o estresse é uma das causas do mau hálito. O aspecto emocional tem muita influência no aparecimento da halitose, pois facilita o aparecimento da hiposalivação (diminuição da produção de saliva) ou da hipoglicemia (nível baixo de açúcar no sangue), ambas com grande potencial de causar o mau hálito.

    Leia mais

  • Mau Hálito é sinal de alerta

    Jornal Estado de Minas Gerais - Setembro de 2004
    Segundo o presidente da ABPO, Maurício Duarte da Conceição a halitose não é uma doença e sim sintoma de que algo no organismo está em desequilíbrio, precisa ser detectado e tratado. “O problema é que geralmente essas pessoas não sabem que tem esse mal porque as células responsáveis pelo olfato rapidamente se adaptam ao odor constate”, explica.

    Leia mais

  • Mau hálito suor podem atrapalhar vida profissional

    Jornal Diário de São Paulo - Setembro de 2004
    "Isso pode interferir de várias formas. A pessoa evita falar de perto, muitas vezes deixa até de se manifestar, de participar, de dar opiniões. Tem medo da reação dos outros. Em alguns casos, é preciso, além do tratamento clínico, o acompanhamento psicológico para que o paciente readquira a confiança de falar em público"

    Leia mais

  • Mau hálito cria problemas emocionais

    Jornal Folha de São Paulo - Fevereiro de 2004
    Quanto mais retraída a pessoa ficar, menos falar no problema, mais disfarçá-lo com gomas de mascar ou comportamentos arredios, maior a chance de agravá-lo.

    Leia mais

  • Livre-se do mau hálito

    Jornal Nippo-Brasil - Dezembro de 2003
    A diminuição de saliva bem como a respiração bucal, por ressecarem a boca e permitirem a descamação de células da mucosa oral, provocam a “saburra lingual”, uma placa esbranquiçada localizada no fundo da língua e também os “cáseos amigdalianos”, que são bolinhas ou flocos esbranquiçados ou amarelados, formados nas amígdalas, que provocam a alteração no odor bucal.

    Leia mais

  • O estresse também pode causar mau hálito

    Jornal APCD - Abril de 2003
    Para agravar a situação, muitas vezes o paciente com dificuldades emocionais procura um psiquiatra, que o medica com antidepressivos, ansiolíticos ou calmantes, que por sua vez pioram o quadro da halitose, por diminuir ainda mais a produção de saliva como efeito colateral".

    Leia mais

  • Estresse causa mau hálito

    Jornal Diário de São Paulo - Fevereiro de 2003
    0s estressados têm agora mais um motivo para se preocupar. Além de ser responsável por uma série de problemas como hipertensão, gastrite, dor de cabeça, tensões musculares e até mesmo ataques cardíacos, o estresse está entre as principais causas do mau hálito.

    Leia mais

  • Cuidados evitam mau hálito na 3ª idade

    Jornal Vale do Paraibano - Setembro de 2001
    Na terceira idade, a medicação exigida em tratamentos de doenças comuns nesta fase da vida causa mau hálito. Diuréticos, calmantes, antidepressivos, hipotensores, medicamentos contra diabetes, antialérgicos, laxantes, anti-ácidos, soníferos, descongestionantes e remédios para tratar o Mal de Parkinson favorecem o aparecimento do problema por ressecarem a boca, efeito conhecido como xerostomia.

    Leia mais

  • Você sabe se tem mau hálito?

    Jornal Vale do Paraibano - Novembro de 2000
    Nos Estados Unidos, estima-se que são gastos de US$ 1 bilhão a US$ 2 bilhões por ano em produtos de bochechos, vaporizadores, gomas de mascar e outros que agem como moderadores, sem efeito duradouro no combate à halitose.

    Leia mais

  • Hoje é dia de combate ao mau hálito

    Jornal Diário do Povo - Setembro de 2000
    "A principal meta da entidade, ao instituir uma data-símbolo para se lembrar particularmente do problema e lançar a campanha, é o de esclarecer a população sobre como identificar a halitose, suas causas ou fatores desencadeantes e os meios existentes para combatê-la."

    Leia mais

  • Esse é meu amigo João Bafo-de-Onça

    Jornal Valor Econômico - Setembro de 2000
    As pessoas que sabem sofrer de halitose costumam ser aficcionadas por enxaguatórios bucais, chicletes balas. Os recursos ajudam, mas são paliativos. Com exceção das soluções anti-sépticas com álcool, que só pioram o quadro por desidratarem a boca.

    Leia mais

  • ABPO realiza Dia de Combate ao Mau Hálito

    Jornal O Roteiro - Setembro de 2000
    Hoje já existe um apare­lho de alta tecnologia chamado halímetro que mede, em partículas por bilhão, a quantidade desses compostos presentes na boca. Com esse aparelho é possível o medir a gravidade do problema, acompanhar a evolução do tratamento e também diagnosticar pacientes com Halitose psicogênica, ou seja, pacientes que têm certeza que tem mau hálito mas não o tem.

    Leia mais

  • A Primavera e o Hálito Puro

    Jornal Diário do Vale do Paraíba - Setembro de 2000
    Esse é o momento ideal para o lançamento de uma campanha permanente de prevenção e combate à Halitose (o popular mau hálito), problema que tem constrangido, desagregado, e em muitos casos, até isolado socialmente grandes contigentes de pessoas em todo o país.

    Leia mais

  • Campanha previne o mau hálito

    Jornal Correio Popular - Setembro de 2000
    Segundo o membro-fundador da ABPO, o dentista Maurício Duarte da Conceição, é importante a conscientização de que o mau hálito é um sintoma e não uma doença. Quase sempre, é resultado da saburra lingual acúmulo de restos de alimentos, células descamadas da mucosa e bactérias na língua. Em estado de decomposição, esse material elimina enxofre.

    Leia mais

  • Halitose ou mau hálito: a terapia sem fantasmas

    Jornal Saúde Folha Vale - Setembro de 2000
    São muitos os relatos dos nossos pacientes a respeito da verdadeira "via sacra" que já fizeram em busca de uma solução definitiva para um problema que muito os aflige. O mau hálito pode ser um problema que vai desde o constrangimento em alguns mo­mentos, na presença de determina­das pessoas, até um mal que isola o indivíduo do convívio social saudável, afetando sua vida profissional e pessoal.

    Leia mais

  • Mau hálito: um mal que tem solução

    Jornal O Dia - Setembro de 2000
    Geralmente quem sofre desse problema não sente. Isto ocorre por um mecanismo natural de defesa do organismo em que as células responsáveis pelo olfato rapidamente se adaptam a um determinado odor, e a pessoa deixa de senti-lo se ele for constante.

    Leia mais

  • Mau hálito atinge 40% da população brasileira

    Jornal O Roteiro - Agosto de 2000
    E normal ter halitose ao acordar, que se dá pelo jejum da noite associado à redução do fluxo salivar que acontece nor­malmente durante o sono. Após ingerir o café-da-manhã e escovar os dentes, esse hálito deve desaparecer. Se isso não ocorrer, existe algo em desequilíbrio no organismo que deve ser investigado e tratado.

    Leia mais

  • Halitose atinge 40% no Brasil (2000)

    Jornal Diário do Grande ABC - Agosto de 2000
    A halitose chega a ser motivo de separação entre casais e pode prejudicar a área profissional para quem tem contato com o público, como corretores, vendedores e advogados. Para tentar atenuar o problema, as pessoas que sofrem de mau hálito fazem uso constante de escovas, soluções anti-sépticas, chicletes e balas, entre outros recursos, mas não conseguem eliminar a causa.

    Leia mais

  • IMPRENSA

    Jornal Gazeta de Pinheiros, Morumbi News, São Paulo News - Outubro de 2000
    Sofro com problema de mau hálito e quero encontrar um especialista nesse assunto. A quem devo re­correr?

    Leia mais

  • Mau hálito não vem do estômago, diz médico.

    Jornal O Estado do Paraná - Setembro de 2000
    Nada agradável, a halitose, palavra originária do latim halitu (ar expirado) e osi (alteração), mais conhecida como mau hálito, costuma trazer uma série de problemas a suas vítimas, atrapalhando seus relacionamentos pessoais. O mal, que atinge entre 30 e 40% da população brasileira, fazendo com que de cada dez pessoas quatro tenham o problema, tem mais de cinqüenta causas, sendo que 90% dos casos são de origem bucal.

    Leia mais

Conheça nossos clientes e saiba o que eles pensam sobre a Clínica Halitus

Veja todos os depoimentos

Nossos endereços

São Paulo

São Paulo

Endereço

Rua Apeninos, 930 - Conjunto 42 - Metrô Paraíso


Como chegar

Desça na estação Paraíso do Metrô, pegue a saída da Rua Dr. Eduardo Amaro, vire a direita. Na próxima esquina vire à direita de novo; o prédio da Clínica fica no meio da quadra.

Resp. Téc.: Luciana Sassa Marocchio
CRO SP: 79.084

Veja o mapa

Campinas

Campinas

Endereço

Rua Avelino Silveira Franco, 149 - Bloco 2 - Sala 366 - Condomínio de Escritórios L'Oficce - Ville Sainte Helene


Como chegar

Estrada Campinas - Sousas; Av. Dr. Antônio Carlos Couto de Barros/Rodovia José Bonifácio Coutinho Nogueira, em frente ao Clube Cultura e à SANASA.

Resp. Téc.: Maurício Duarte da Conceição
CRO SP: 34.205

Veja o mapa

Whatsapp
Fale com a Clínica Halitus


São Paulo
+55 11 94764-2935

Campinas
+55 19 97404-1126